quarta-feira, 1 de abril de 2009

"O Pequeno Príncipe"

"Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo pronto na lojas"
Trecho do livro "O Pequeno Prínicpe"

Achei nesta passagem do livro uma crítica, que fez parte da discussao feita em sala na terça-feira sobre o texto do Adorno, o fato de as coisas que nós temos contato virem com um sentido embutido nelas próprias. O próprio livro da onde essa passagem foi tirada. Sabemos que ele é um livro destinado à crianças, ou seja, nao há necessidade de atribuir um sentido a ele, pois supostamente sabemos pra que ele serve.
O mais interessante é que eu mesma nunca pensaria encontrar nele um tipo de crítica como essa, que logo me fez pensar no conteúdo dado em sala, pois, afinal é um livro para crinças, né. Me fez pensar bastante.


Isis Mesquita

3 comentários:

Lara disse...

Mas tem umas histórias infantis que eu não considero assim tão infantis...
O Pequeno Príncipe é a maior viagem, mas realmente, já é direcionado e principalmente ao público infantil, apesar de nos remeter a determinadas reflexões; o que já não é o caso de Alice no País das Maravilhas (que nos introduz a uma filosofia incrível).

Érica Ribeiro disse...

Muito legal. Li o Pequeno Príncipe há muito tempo. Talvez seja a hora de relear alguns livros... Novas experiências nos levam a outros sentidos sobre/em coisas que já conhecemos.

Débora Nunes. disse...

O Pequeno príncipe é um livro bastante puxado, sim. Tá pensando o quê das criancinhas?

Já trabalhei esse livro no Projeto e elas viram coisas que eu mesma não havia enxergado.

Sabe a parte do planeta de um rei... Fiquei pasma com a interpretação delas com a relação do poder.